TRATAMENTOS CLÍNICOS

É uma doença que tem um impacto emocional muito grande. Não raro, características pessoais como timidez ficam muito exacerbadas e podem prejudicar definitivamente a personalidade em formação dos adolescentes.

No adulto a autoestima também fica abalada.

Para escolher o tratamento é preciso levar em conta os diferentes graus da acne, as características pessoais do paciente e a possibilidade de cicatrizes definitivas.

O tratamento precoce evita todos esses transtornos.

Manifestam-se de diferentes formas de acordo com o tipo de resposta imunológica envolvida.

As mais frequentes são urticária, dermatite de contato, dermatite atópica e reação á medicamentos ou á alimentos.

O uso de anti-histamínicos ou corticoides depende do tipo da alergia a ser tratada e exames podem ser solicitados para auxiliar a pesquisa das causas.

Muitas doenças podem se manifestar no couro cabeludo.

As queixas principais são dermatites seborreicas, oleosidade excessiva e queda de cabelos (alopecias). Nesse último caso, algumas doenças sistêmicas precisam ser descartadas, principalmente se houver áreas com falha, ausência de cabelos ou alterações da pele do couro cabeludo.

Xampus, loções capilares e vitaminas específicas tratam e possibilitam o aspecto saudável que desejamos.

Um tipo especial de alopecia é a masculina ou androgenética, que pode acometer tanto os homens quanto as mulheres. O tratamento precoce da alopecia androgenética oferece resultados muito satisfatórios tanto na prevenção da queda quanto na recuperação do volume dos cabelos.

Os carcinomas são neoplasias malignas que se originam das células da epiderme.

Os mais comuns são o Carcinoma basocelular e o Carcinoma espinocelular, ambos relacionados com tipos mais claros de pele e exposição solar. Outras causas estão descritas: Exposição a determinados agentes químicos, síndromes genéticas, queimaduras e cicatrizes.

Quando diagnosticados precocemente, o tratamento cirúrgico é simples e pode ser realizado pelo próprio dermatologista. Dependendo da avaliação clínica o paciente poderá ser encaminhado ao cirurgião plástico ou necessitar da cirurgia micrográfica de Mohs, onde o material removido é analisado durante o tempo cirúrgico para obtenção de margens cirúrgicas precisas livres de tumor. Outra possibilidade terapêutica envolve quimioterapia local utilizando cremes contendo 5 - fluouracil, imiquimod ou terapia fotodinâmica.

São lesões de aspecto áspero, endurecidas, preferencialmente em áreas expostas á radiação solar (face, colo, couro cabeludo e braços).

Podem originar os carcinomas e devem ser tratadas, não configurando apenas necessidade estética.

O tratamento pode ser feito com cauterização química, eletrocoagulação ou quimioterápicos tópicos como 5-fluouracil ou imiquimod.

Em seu aspecto lembram acne, porém frequentemente resultam do uso de medicamentos orais ou tópicos ou do contato com substâncias capazes de deflagrar esse tipo de reação como, por exemplo, o cloro e os corticosteroides orais e tópicos.

Trata-se de uma infecção da pele causada por um ácaro, comum na natureza e mais frequente na época do outono e inverno.

A escabiose ou sarna humana não é a mesma dos cães, embora esses animais possam ser portadores e transmissores do ácaro ao homem. Altamente contagiosa de pessoa para pessoa e através de objetos contaminados, como roupas, almofadas, sofás.

O sintoma principal é muita coceira e lesões pequenas em áreas quentes, como tronco e região genital. O tratamento pode ser feito com medicamento oral ou tópico acrescido de cuidados com a limpeza do ambiente e dos objetos pessoais do indivíduo afetado. Por vezes é necessário tratamento familiar.

Grupo de várias doenças de origem genética.

A forma mais comum acomete crianças e adultos jovens e frequentemente é confundida com quadro de acne (cravos) na lateral dos braços, face e dorso.

O tratamento nesses casos deve ser contínuo com cremes que contenham uréia e ácidos, pois agirão removendo o tampão de queratina que se forma no folículo.

É a hiperprodução de suor, que pode ser generalizada ou localizada (palmar, plantar ou axilar).

De origem emocional ou termorreguladora, resulta sempre em importante desconforto e se revela como um problema social.

Os tratamentos disponíveis incluem cirurgia para remoção das glândulas, cirurgia para interrupção da transmissão neural (simpatéctomia), uso de produtos contendo hidróxidos de alumínio ou aplicação de toxina botulínica que terá ação periférica na inervação da glândula, com efeito temporário, porém muito satisfatório.

Impetigos, furúnculos, erisipelas, celulites, infecções secundárias de feridas são as doenças mais comuns causadas pela ação de bactérias na pele.

São lesões quentes, inchadas e doloridas com ou sem presença de secreção purulenta.

Além do uso de antibióticos e antiinflamatórios, por vezes é necessário drenagem da lesão.

São manchas acastanhadas e compactas na face que atingem preferencialmente mulheres. Podem ser agravadas pela gestação, anticoncepcionais e exposição solar, porém também ocorre em homens. A predisposição genética é um dos fatores causais mais bem aceitos.

Os tratamentos exigem o uso contínuo de cremes com clareadores e protetores solares de boa qualidade. Os peelings são bons coadjuvantes, aceleram o clareamento e potencializam o efeito dos cremes. Alguns lasers são utilizados no melasma, mas essa tecnologia ainda não é definitiva e requer cuidadosa escolha e seguimento.

Adiar o tratamento pode tornar o melasma definitivo e, portanto, resistente aos tratamentos.

Não existe estação do ano apropriada para o tratamento do melasma. O tratamento pode e deve ser feito durante o ano todo e adaptado ao estilo de vida e atividades do paciente.

Resultam da combinação genética e exposição solar.

Apresentam-se salpicadas, com aspecto bem diferente do melasma.

A Luz Intensa Pulsada e o laser fracionado de CO2 são exemplos de tratamentos a laser bastante eficazes na remoção das manchas e na recuperação do aspecto jovem da pele.

Uso de foto protetor e cremes específicos também são importantes para a manutenção.

Tumor maligno que se origina de células chamadas melanócitos. Estudos apontam que cerca de 30% desses tumores contém células remanescentes de nevos (pintas) o que torna importante a análise das pintas como forma de prevenção ao melanoma. Fatores genéticos, imunológicos, tipo de pele, exposição solar são outros fatores determinantes na formação do melanoma.

Existem diferentes formas clínicas do tumor, inclusive com acometimento de mucosas.

A cura ou sobrevida depende do grau de invasão do tumor na pele. Dessa forma, diagnósticos precoces aumentam sensivelmente a chance de cura do melanoma maligno.

O tratamento é cirúrgico e o seguimento deve ser feito rigorosamente por cinco anos após diagnóstico. A prevenção que consiste nas consultas de rotina com dermatologistas será pelo resto da vida.

Pacientes com risco aumentado para melanoma: Histórico familiar positivo para melanoma, número elevado de nevos e ocorrência de nevos displásicos pessoal ou familiar.

A prevenção é simples. O dermatologista é o profissional capacitado para diagnosticar possíveis lesões pré-malignas ou malignas. O exame clínico visual e a dermatoscopia são suficientes para triagem dessas lesões e deve obedecer a intervalo de um ano ou menos, conforme orientação médica.

São infecções causadas por fungos.

Na pele são comuns nos pés, virilhas e mãos. Uma forma comum se dissemina pelo tronco (pitiríase versicolor) e causa manchas brancas cicatriciais que apesar da cura demandam mais tempo para se normalizarem, devolvendo o aspecto saudável á pele.

Nos cabelos, causam áreas de intensa descamação e/ou perda dos cabelos, principalmente em crianças.

Nas unhas, mudança da cor, textura e o descolamento são sinais indicativos dessa afecção.

A escolha do medicamento e o tempo de tratamento diferem em cada caso.

Mais comum em mulheres adultas e relacionado á distúrbios emocionais de ansiedade ou stress. Pode ser secundária á lesões prévias de dermatite atópica ou pele xerótica (seca).

Pode ser uma lesão única, com acentuado prurido (coceira), plana ou elevada, aguda ou crônica.

O tratamento é feito com cremes hidratantes, corticosteroides tópicos e interrupção do hábito, por vezes compulsivo de se coçar.

Podem surgir desde o nascimento ou ao longo da vida.

De maneira geral, todo nevo pode sofrer transformação e originar um tumor maligno. Por isso a prevenção deve ser feita anualmente por todos os pacientes, principalmente aqueles com um grande número de lesões, ou que já tenham retirado algum nevo ”alterado” ou com história familiar para câncer de pele.

O exame é simples, feito pelo olhar treinado do dermatologista e pelo auxílio de um aparelho chamado dermatoscópio que dá parâmetros diagnósticos complementares ao examinador.

Comumente se trata de lipomas ou cistos. O tratamento é cirúrgico, porém requer a avaliação clínica prévia e por vezes o auxílio de ultra sonografia cutânea para melhor definição da lesão.

Doença de origem viral, provavelmente.

Inicia-se por lesão primária maior, seguida de lesões menores que se disseminam em tronco e coxas. Podem vir acompanhadas de intenso prurido (coceira) e perduram por cerca de 2 a 3 meses.

Diferenciais se fazem com reação á medicamentos e sífilis secundária.

O tratamento é expectante. Hidratantes e anti-histamínicos podem aliviar os sintomas. A radiação UV (exposição solar) moderada parece acelerar a cura das lesões.

Doença onde o ciclo de vida da célula se completa mais rapidamente, gerando acentuada descamação. Causa genética, associada a fatores ambientais, principalmente emocionais.

Podemos distinguir diferentes formas clínicas da psoríase, inclusive em unhas, couro cabeludo e articulações. A forma mais comum acomete de forma simétrica cotovelos, joelhos e face extensora dos membros. As lesões podem ser pequenas ou em grandes placas; localizadas ou disseminadas.

A doença pode ter remissão espontânea, progredir ou permanecer estável.

Dos corticoides tópicos, derivados do alcatrão, sulfonas, metotrexato, emolientes, fototerapia aos imunomoduladores, a escolha depende da forma e extensão da psoríase.

Os resultados variam entre os pacientes. A terapia para equilibrar o lado emocional é fundamental em determinados casos.

Na psoríase não se fala em cura, porém controle significa em muitos casos não apresentar mais lesões.

O início de qualquer prevenção não pode deixar de lado a indicação de um bom protetor solar. O uso de cremes adequados á idade, tipo de pele e estilo de vida é o pilar para qualquer tratamento que visa permitir um envelhecimento onde a beleza possa ser preservada respeitando cada fase da vida.

Os avanços na área da dermatologia estética disponibilizam muitos recursos na recuperação de certos aspectos indesejados, como manchas e textura áspera da pele, rugas, flacidez ou correção de cicatrizes.

Preenchedores, toxina botulínica, laser, pellings, vitaminas especificas, cosméticos e medicamentos tópicos são indicados.

No entanto, a conduta a ser tomada requer avaliação personalizada e um planejamento das etapas a serem realizadas de acordo com as características de cada paciente.

Também chamada acne rosácea, pela sua semelhança clínica com quadros de acne, embora com origens diferentes. Acomete preferencialmente mulheres entre 40 e 50 anos.

Pode se manifestar com vermelhidão facial e lesões inflamadas na região central da face. O aumento do volume do nariz, ou rinofima, ocorre em homens. A vermelhidão se exacerba com calor e alimentos condimentados e tem evolução crônica.

O tratamento pode ser feito com antibióticos orais e cremes com propriedades anti-inflamatórias, como o Metronidazol.

Luz intensa pulsada (“laser”) auxilia muito na diminuição da vermelhidão á medida que esse procedimento diminui a rede vascular que se forma na região afetada, trazendo bastante conforto e melhoria estética.

Micoses, descolamentos, estrias, ondulações, unha frágil que descama e quebra fácil ou que “não cresce”. Muitas doenças sistêmicas podem modificar a forma e a textura das unhas.

Diante do exame clínico e da história pessoal e familiar do paciente, o médico terá condições de solicitar os exames necessários para investigar as possíveis causas correspondentes ás alterações e medica-las.

Infecções causadas por vírus, tais como molusco contagioso, verrugas virais, varicela (catapora), herpes simples, herpes zoster, entre outras.

A maioria das viroses se manifesta quando a imunidade está debilitada por causas orgânicas ou emocionais.

Antivirais, cauterizações químicas, eletrocoagulação, crioterapia, curetagem são tratamentos que poderão ser escolhidos dependendo da virose, sua extensão e localização.

Embora benigna, onde o prejuízo principal é estético, essa doença causa distúrbios psicossociais muito importantes. Sua frequência é 1 % da população, principalmente entre 20 e 30 anos, sem preferência por raça ou sexo.

De origem ainda desconhecida, mas muito estudada, várias causas parecem se relacionar a doença e suas diferentes formas clínicas.

Bem sabido pelos pacientes, o envolvimento emocional pode desencadear ou agravar o quadro.

Os tratamentos são sempre um desafio. De acordo com a manifestação clínica da doença, estudos direcionam a escolha terapêutica. Um tratamento que traga ótimos resultados para um paciente, nem sempre resulta da mesma forma em outro paciente.

Fototerapia, psoralenos, corticoides e imunomoduladores são usados na terapia do vitiligo.

Usar protetor solar é importante para proteger contra queimaduras solares e minimizar o contraste de cor entre a pele sã e a lesão acrômica (sem cor).

Banhos quentes, sabonetes inadequados e a falta do hábito de usar cremes corporais hidratantes são as causas frequentes de pele seca ou seu agravante.

Graus maiores de xerose configuram quadros de descamação, vermelhidão e coceira, frequentemente confundidos com alergias.

De acordo com o comprometimento da pele, o dermatologista escolherá um hidratante adequado, bem como avaliará a necessidade da intervenção com medicamentos.

Peles mais secas exigem hidratantes específicos, bem como aplicação mais de uma vez ao dia.

Repor a hidratação da pele significa promover a integridade da barreira cutânea, camada de células e substâncias importantes ao equilíbrio, regulação e proteção, prevenindo o surgimento de diversas doenças inflamatórias, como por exemplo, a dermatite atópica e outros eczemas.